O Santo Ofício: Da tortura a Salvação

O Santo Ofício
Sangue, era o que eu via,
Dor, era o que eu sentia,
Angústia, minha família carregava no peito,
Esperança, faltava em meu desespero.
Por que estou aqui?
Que mal fiz a Deus?
Meus pecados confessados,
Não foram perdoados?
No Santo Ofício fui julgado.
Por qual motivo jamais saberei.
Mas segundo eles para o céu irei
Se eu me declarar culpado.
O cheiro da palha já sinto.
Será esse meu destino?
Na rua gritos inflamados clamam por morte
Na minha cela só meu corpo que resta.
Um último desejo foi-me concedido.
Porém não quero nada de material.
Quero somente que minha família
Jamais passe pelo mesmo tribunal.

Por Eliphas Bruno

2 respostas em “O Santo Ofício: Da tortura a Salvação

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s