Tudo é histórico, logo a história não existe.

   O que é a história? Tudo é história. porque um evento que teve mais repercussão é mais importante que uma conversa de camponeses por exemplo tudo é história e a importância dela vai ocorrer com  a visão do historiador que está analisando-a.
   Tudo o que acontece é história, desde que se prove sua veracidade. Um simples documento pode trazer a história de um povo de que não se conhece muito. A história pode ser ensinada de acorde com a escolha de seu pesquisador, podendo contar grandes feitos ou as nuâncias dos atos e pensamentos humanos.
   A história é feita de incertezas em certas épocas e regiões, sendo assim, a história dos povos apresentam lacunas a serem preenchidas e acabam ficando incoerentes. Com esses espaços no tempo o historiador têm que colocar vários anos em poucas páginas e consegue com um pouco mais de informação discorrer poucos anos em muitas páginas.
   A história vem ao longo do tempo aumentando e redirecionando sue estudo. Antigamente a história era somente as batalhas, dinastias monárquicas, mas como a história moderna ampliou tal visão, tudo o que cerca os acontecimentos, tornou-se história.
   Cada grande ou pequeno fato não são absolutos de entendimento, porque eles fazem parte de uma história bem maior que ele próprio, mas mesmo assim, o público prefere saber o porque dos grandes fatos, achando que eles são mais importantes para a história que o fato isolado, um acontecimento regional, por exemplo.
   A história além de estudar documentos oficiais, também estuda eventos da vida cotidiana, mas não só por interesses particulares, mas para saber os eventos sociais do povo da época, o que pensavam, quais os costumes, etc. Essa diferença entre nova e antiga história é enorme demonstrando a ampliação da nova história entre os historiadores mais antigos e os historiadores do século XXI.
   Tudo é história, mas ela só tem sentido dentro de um acontecimento, seja ele qual for. A história é a respostas de perguntas feitas ao passado da humanidade e para isso acontecer é preciso um processo longo de pesquisas eficazes para preencher tantas lacunas.
VEYNE, Paul. Tudo é histórico, logo a história não existe. in: Como se escreve a história. BsB: Edunb, 1998.




Por Eliphas Bruno
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s