Análise do Filme: Gabriela e do Texto Da monarquia a república

O Brasil foi marcado por um período histórico denominado por coronelismo. Este período influenciou a sociedade brasileira do século XIX e XX em campos tais como o econômico, cultural e a própria estrutura do poder político. Este Coronel, não era de fato militar, mas suas origens iam da constituição da Guarda Nacional durante o período imperial, mas não se esgota neste ponto sua gênese. Com a proclamação da Republica e a nova constituição de1891, o direito ao voto foi ampliado, mas não necessariamente atingia toda a população, pois, os analfabetos não tinham esse direito. Então uma saída das elites para manter-se no poder foi de controlar os votos da população por meio da força, mas não somente isso, a barganha política de interesses também fazia parte do cotidiano do eleitorado e dos coronéis.
       0 coronel era visto como centralizador da economia local, muito embora este coronel também tivesse força no âmbito nacional, a sociedade rural passava-se em torno dele e de sua parentela. Este para se aproximar mais da população votante e ganhar sua confiança era na maioria das vezes o padrinho de seus filhos para dar ideia de pertencimento, ao camponês pobre, de sua parentela, além de utilizar-se de seus cabos eleitorais que faziam grande parte do trabalho de conquista dos votos. 0 pequeno comerciante também fazia parte desta política, pois, era no armazém e bares que o controle econômico surgia e se fazia valer se sua forca. 0 coronel possuía sua vendia e a população rural adquiria suas dividas na tão utilizada “cadernetinha”. A cultura religiosa influenciava por meio dos sermões dos padres, que eram financiados pelos coronéis, a sociedade para que esta não se revoltasse com os coronéis e ainda formava o pensamento fraternal das classes mencionadas.

        Mas para que esse emaranhado político acontecesse algumas características na estrutura do poder no Brasil são fundamentais. 0 Estado brasileiro não atuava em regiões tão longe do eixo econômico de São Paulo, alegando que para que a máquina administrativa chegasse até eles seria urn gasto muito grande e acabava por deixar que estes coronéis formassem urn mandonismo local e estes seriam representantes do Estado. 0 filme “Gabriela” de Bruno Barreto caracterizou esse período da história do Brasil, na Bahia em 1925. Alguns aspectos apresentados no filme estão de acordo com o pensamento de Emília Viotti no seu texto “da monarquia a republica: momentos decisivos”. No período entendido como coronelístico, os filhos e a parentela do Coronel faziam parte das estruturas do poder na região. 0 cartório, demonstrado no filme, mas estes também estavam presentes nas câmaras municipais, nos tribunais, na policia, sem deixar de citar sua guarda pessoal que por vezes estavam acima da lei. Alguns aspectos apresentados no filme nos mostram a cultura do povo que se fazia acontecer nas vendas e bares, além das celebrações religiosas como meio de diversão para a população. O filme aborda também o fato do coronelismo impedir de 7 certa forma o progresso da economia com a rigidez de sua estrutura. Mas como retrata o filme, uma pequena elite procurava “modernizar” o porto de Ilhéus e buscava apoio estrangeiro.

No contexto de 1925, no qual se passar o filme, as estruturas que sustentariam o coronelismo estavam em decadência. O crescimento demográfico neste period° foi bastante significativo, isso impossibilitava a convivência fraternal das 7 pessoas com o coronel, pois, com tantas pessoas nas cidades não tinha como atender aos seus anseios particularmente como era outrora.
Quando o acordo é feito entre o estrangeiro e a elite de Ilhéus, dois personagens comentam que os antigos políticos estavam conversando com a nova elite, 7 quando urn personagem fala que o novo substituiria o velho, entretanto será tudo igual, porem as pessoas que estavam no poder, serão diferentes.
Para se ter uma ideia de como o período do coronelismo foi tão forte no Brasil, a possível perceber que alguns políticos ainda se valem de características do 7 século XIX e XX para conquistar seu eleitorado. E também os eleitores fazem de seu voto urn elemento de troca por ganhos pessoais. A diferença que hoje o voto e barganhado para a regularização de lotes e não em troca de pequenos favores ou proteção contra outros políticos.

Por Eliphas Bruno
Fonte: Filme Gabriela, 1984. MGM. Bruno Barreto
Texto: COSTA, Emília Viotti da. Da Monarquia à República: Momentos decisivos. São Paulo: editora UNESP, 2007 



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s