Análise do filme; Memóroias do Cárcere e do texto O golpe de 37 e o Estado Novo

    Para fazer uma análise dos aspectos históricos presentes no filme Memórias do Cárcere, um filme baseado na obra de Graciliano Ramos e se passa em Maceio de 1936. Para fazer a comparação do conteúdo teórico e histórico do filme o texto de Loures Sola servirá de amparato acadêmico. No contexto em que se passa o filme o então presidente Getúlio Vargas estava às vésperas de concretizar o golpe do Estado Novo em 1937. Suas medidas eram sentidas na decretação de prisões políticas, a Intentona Comunista da ANL em 1935 ( Aliança Libertadora Nacional) e a declaração do Estado de Guerra, dentre outras medidas. O filme apresenta um breve histórico do personagem Graciliano Ramos e sua chegada a prisão. É na prisão de Graciliano Ramos que os aspectos históricos são mais sentidos. Os movimentos políticos do PCB, as brigas internas entre fascistas, nazistas e os nacionalistas brasileiros. Porém o filme não aborda fatos tais como, a lei de segurança nacional, a intentona integralista e a própria pena de morte. Mas em contra partida exemplifica, mas não explica os super poderes do  presidente, a proibição dos partidos políticos além de abordar de forma superficial o DASP (Departamento Administrativo de Serviço Público), mas este também não era o foco do filme. No campo econômico o texto de Loures Sola explica muito bem o intervencionismo estatal na economia brasileira, fato este não abordado no filme. O mais importante aspecto do filme é a relação entre os pres´diários intelectualizados, os politizados e os presos endinheirados. Sua convivência dentro de presídios nem sempre eram as mais amistosas, surgindo vários conflitos. A postura diplomática de Vargas é retratada na cena em que Olga Benário é entregue nas mãos dos nazistas de Hitler. O jogo político de Getúlio Vargas era neste contexto, muito peculiar, pois, negociava tanto com a Alemanha nazista, a URSS comunista e os EUA capitalista. Este aspecto diplomático da cena política brasileira não é aprofundado. Mas o filme em si é um relato importantíssimo da História do Brasil. O cárcere e as condições dos presos, as torturas, a prisão política e ideológica contra os inimigos do Estado, todas essas características são relevantes ao contexto do Estado Novo de Vargas, período relatado mais profundamente pela autora do texto, mas não menos importante que a leitura das duas obras.
Por Eliphas Bruno
Filme: Memórias do Cárcere. Dirigido por Nelson Pereira dos Santos. 1984
Texto: SOLA, Loures. O golpe de 37 e o Estado Novo. in: MOTA, Carlos Guilherme (org). Brasil em perspectiva. Rio de Janeiro: Editora Difel, 1978.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s