Análise do filme: "Tiradentes" e do texto "O manto de Penélope"

O filme apresenta uma visão da historiografia oficial sobre Tiradentes. Ele apresenta Tiradentes como um homem extremamente ligado ao pensamento de herói e mártir, além de colocar os outros incofidentes como responsáveis pelo pensamento de liberdade em seu sentido nacional, no entanto, de acordo com o texto de J.P. Furtado, a ideia de liberdade que uniam os conjurados era a liberdade sobre as dívidas para com a Coroa portuguesa. A visão que o filme passa é de que todos os inconfidentes eram e tinham interesses em comum entre eles: a questão da derrama, o débito para com Portugal. A Inconfidência Mineira foi, ou seria, um movimento elitista. Por que seria? Seria pelo fato de ter sido abortada antes de sua execução. O filme deixa um pouco vago aspectos que dizem respeito ao patrimônio dos conjurados, e é nesse ponto que o mito de Tiradentes pode ser de certa forma desmentido. tiradentes é colocado com homem pobre e no filme mostra um pouco disso, mas as novas pesquisas indicam um homem com posses consideravéis para o seu tempo. No filme, Tiradentes é a imagem de Cristo, em uma cena quando ele está dentro da Igreja, entra um encenação da via sacra de Cristo e fica frente a frente para ele, a pessoa que interpreta Cristo o fita e os dois passam alguns segundos trocando olhares, com esta cena fica no imaginário popular que Tiradentes era um mártir. Outros aspectos não estão presentes no filme e sim no texto. No filme, nos parece que somente Tiradentes teria sofrido penalidades, mesmo com alguns dos outros conjurados sendo punidos. Mas vários deles sofreram penalidades, porém mais brandas que a figura de Tiradentes que foi condenado por crime de Lesa Majestade, o que ocasionou em enforcamento e esquartejamento. Após vários anos, Tiradentes foi resgatado pelos militares da proclamação da República, outrora pelos militares do Golpe de 1964, e ainda pela direita que afirma o pensamento de heróis para garantir o apoio do povo. assim a figura de tiradentes passou de apoio aos direitistas e de esquerda dentro do imaginário nacional, mas sua luta como inconfidente mineiro não biscava essa unidade nacional.
Por Eliphas Bruno
Filme: TIRADENTES, WARNER home vídeo 1998
Texto: FURTADO, João Pinto. O Manto de Penélope.História, mito e memória da Inconfidência mineira. São Paulo: Cia das letras, 2002.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s